Alimentação pobre em vitaminas e minerais

Excesso de trabalho e falta de tempo contribuem para maus hábitos alimentares

É inevitável que os maus hábitos alimentares, ricos em açúcares e gorduras, resultem na carência de muitas vitaminas e minerais essenciais para o bom funcionamento do organismo em qualquer faixa etária. Por isso, a importância de incluir no cardápio diário refeições ricas em frutas, verduras, legumes e grãos integrais.

O Brasil vem enfrentando aumento expressivo de sobrepeso e obesidade em todas as faixas etárias. De acordo a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF 2008-2009), um terço das crianças de cinco a nove anos de idade, um quinto dos adolescentes e mais da metade dos adultos em todo o mundo estão com excesso de peso.

No Brasil, 33,5% das crianças de cinco a nove anos de idade apresentam excesso de peso. O mesmo percentual atinge os adolescentes brasileiros de 12 a 17 anos de idade com sobrepeso (33,5%), sendo que 8,4% estão obesos, segundo o Estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (ERICA – 2015).

E quais os motivos que levam a esse preocupante cenário?
Sem dúvidas, o principal deles é a má alimentação. O prato dos brasileiros está cada vez mais monocromático. Com a correria do dia a dia, trânsito, estresse, excesso de trabalho e cuidados com a casa e a família, falta tempo para investir em um cardápio alimentar balanceado. O cansaço ao fim do dia impede que homens e mulheres se dediquem ao preparo de refeições saudáveis.

No entanto, é fato que o organismo só funciona corretamente quando a alimentação é feita de forma saudável. Por isso, é necessário incluir vitaminas e minerais nas refeições durante toda a vida. Cada fase do crescimento exige uma quantidade específica de determinado nutriente, então não deixe de consultar o médico e fazer exames regularmente.

O mercado oferece diferentes tipos de suplementação que contribuem para complementar as necessidades diárias de nutrientes, como o Biotônico Fontoura, um suplemento mineral à base de ferro. Informe-se!


Fontes: Ministério da Saúde (MS). Disponível em http://nutricao.saude.gov.br/mn/ferro/ferro_programa_info_geral.php Acesso em: 15 de abril de 2017; Ministério da Saúde (MS). Disponível em http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/cidadao/principal/agencia-saude/24993-brasil-alerta-sobre-consequencias-da-ma-nutricao-e-obesidade-infantil Acesso em: 22 de maio de 2017